NÃO HA PORQUE

Cantaram o seu canto

NÃO HÁ PORQUE

A tarde vai se exila
Seguindo o por sol

Acalmam-se os pássaros
E vão dormir

Já cantaram, o seu canto…
Cabe ao tempo ir e vir…
Com a luz. Ou com a escuridão.

As almas simples Calam.
Cingindo o olhar no chão
Ao mais pequeno ínfimo inseto.

Aguçando os sentidos
E olhando para o céu chegam longe
Sempre vão bem mais além.

Numa suave eloquência,
Serenos caminham em paz
Como um rio lento
A deslizar suavemente.

Do que sabem é o seguir
Do amor, enfim tudo que a vida pode,
Oferecer…

Snitramus
Editora de texto
Rosali Gazolla

Comments are closed.