O TREM AZUL

De um lado da estação

TREM AZUL
De um lado da estação
Espera para seguir.
Faz as viagens, é o trem azul.
Tudo clareia em luz
E uma cor reluz
No fim do túnel, indo mais além.
Que pena o trem partir
E a escuridão cobrir
Os olhos de quem, só pagou para ver.
E vão em outro trem
Inverso ao trem azul
Na direção sem ter o por do sol.
De vento sem canto
Sem balanço de mar
Sem chuva…
Quem coloca as flores, choram.
Mas quem foi já sentiu…
Não é mistério.
Também têm dois lados as estações.
Dos trens que vão.
Snitramus
Editora de texto
Rosali Gazolla

Related Posts:

Both comments and pings are currently closed.

Comments are closed.

  • Facebook
Pular para a barra de ferramentas