PREMONIÇÃO

PREMONIÇÃO

PREMONIÇÃO

Um dia esgotado e triste
Meus olhos escureceram
E só viram meus
Sonhos de louco

Disfarçando-se por isso o meu coração
Cujo som se debatia
Preso às redes da vida
E da sorte.

Invoquei soluçando em sussurros
Que os montes e as matas
Mostrassem-me sua face
A minha fonte da vida.
Que é tu mulher amada.
Por ti não me calo
Nem esconderei minhas culpas.
Já confessei minhas faltas
E me envolvi na alegria de ser livre.
Por isso minha cabeça se ergue
A volta de quem me rodeia
Querendo engolir-me como feras

Resolvi guardar minha estrada
E não deixar-me cair com a língua
Pois eu sei como sou efêmero.

Não lhe desejo só pela sua formosura
Mas não lhe deixarei
Em primeiro lugar no mando.

Deixarei que sejas virtuosa e forte
Tal qual o céu o é para o firmamento.

Mas ficarei de vigília a seus olhos
Para que não me despreze e abuse de mim.

Quero que tenhas
A graça de uma mulher virtuosa
Para encher-me de vigor.

Não serás como uma sombra que passa
Ou como o fumo a desvanecer os meus dias.

Conservarei sempre a minha graça
E fiel permanecerei a nossa aliança
Tantos anos quanto
Suportarmos a desgraça.
Não tenho olhar altaneiro
E coração presunçoso.

Como a lua é fiel no firmamento é testemunha
Meus filhos por ti me desprezarão.

Buscarei na luz a sabedoria e força
Para amenizar meus ânimos abatidos
E apagar de vez todas nossas angústias.
Cantarei para ti uma nova canção
E serei um espelho a mostrar-te
O seu rosto sereno e liberto.

É escorregadia a nossa estrada
Do nascer do sol ao seu ocaso
Para o alto levantarei tua fronte.

E veremos se reduzir em pó e fumaça

Todos os ultrajes da nossa alma
Snitramus.

Related Posts:

    Both comments and pings are currently closed.

    Comments are closed.

    • Facebook
    Pular para a barra de ferramentas