Archive for fevereiro, 2011


Pagina Antonio José Cunha

Off
fevereiro 22nd, 2011

HOMENAGEM.
Está página está dedicada ao meu saudoso amigo(Antonio José Cunha) TOM ZÉ parceiro, colega, saudade
do seu inestimável violão o qual juntos na década de 80 nos encontramos.
Por obra do destino sem saber que tínhamos os mesmos sonhos.
Tocava harmoniosamente e cantava o Samba da Benção, quando de repente
Passei a fazer parte e naquele momento surgiu uma dupla a cantarolar juntos
Belas canções de Toquimho e VINICIUS DE MORAES.
Eu arranhava o violão, mas escrevia tudo que me vinha na cabeça. Com as
Minhas dificuldades até que conseguia arrancar alguns acordes nas letra que fazia.
Ao encontrar o Tom Zé tudo mudou porque, ele tinha mais intimidade com o pinho.
Uma boa dupla, diziam entusiasmado sempre estávamos a cantar, ensaiávamos de duas maneiras:-
Toqinho/Vinicius e as nossas. É claro que o pessoal preferia as primeiras a gente ficava meio mu Chu, mas e daí a vida é para se levar. Nosso entusiasmo foi tanto que
Gravamos nossas músicas em K7 e corremos atrás. Nosso sonho era cantar, aconteceram fatos interessantes entre nós, como eu escrevia tudo que vinha na minha cabeça e na minha alma o Tom estava encrencado, tinha que se virar
Falando do Sarney peguei o violão e comecei:_ meu caro amigo o que fizeste com o cruzeiro que deixou de ser dinheiro foi pro pacotão, ou outra:- Engana o povo com o rosto sorridente abraça tanta gente gente que ele nem ligou, chega na praça prometendo de um tudo e o povo grita já ganhou…E o Tom morria de rir.
Mas teve um dia que foi sério estavamos ensaiando uma letra que saiu da minha cabeça do nada, essa música se chama Minha Meta, é mais ou menos assim:- sou brasileiro bom de samba e bom de bola, Tom ZE vejo o Cartola, tá sorrindo prá voce, na realidade depois mudei tudo, pois tinha um copo de água e ele balançou…!
É incrível, das notas do violão do TOM eu fiz a letra Clarividência aí o Tom falou brincadeira!
Essa letra é típica do Cartola. E não parou aí, uns dois dias depois o Tom saiu com essa,
Ele me chamava de Vininha, essa noite eu tive um sonho, eu acho que era o Vinícius.
E ele cantava o Samba Da Benção e me contou aquela historia de que nós estávamos
Com molecagem e que não se fazia samba da forma que estavámos fazendo. Então escrevi
O que o Tom me falou, fomos definir a música para o tema… Não dava, tentamos um tempão, nós estávamos conversando e o Tom fazendo acordes; ele fez 4 acordes seqüênciados lindos eu disse:- TOM é esse o acorde, e era.
Se por acaso o Toquinho ler isso com todo o respeito talvez ele lembre pois Tom ZE e eu
Fomos desagradáveis no Palácio Das Artes tentando entregar a ele essas fitas e eu até falei com a moça na época, ou esposa dele que era um aviso espiritual.
Finalizando, meu amigo onde voce estiver, no céu uma estrela guia fica para clarear o samba que nasce em nossos dias, salve a Bahia.
Snitram

DESAMOR

Off
fevereiro 1st, 2011

DESAMOR
O mau pior
É desamor no coração
Da vida a vida o pior
É o tanto faz de uma ilusão.
De levar o barco até morrer
Do amanhã querer o mau querer.
Do nascer renascer dos dias
A noite vai esconder
O luar retrai com nostalgia
O mau pior é o desamor de uma mulher.
O mau pior
É uma mulher sofrer de amor
Da vida a vida é melhor
E tanto faz não é só dor.
É levar o barco e não sofrer
O amanhã é sempre um renascer.
Do nascer renascer dos dias
A noite vem com o poder
O luar inspira a poesia um grande
Uma canção da flor mulher.
Snitram
Editora de texto Rosali Gazolla

O CÉU E O MAR (1985)

Off
fevereiro 1st, 2011


O CÉU E O MAR

Quando olhei para o mar
E o vi agitar
E senti meu coração
Sempre a soluçar.
Então olhei para o céu
E vi o luar
Mil estrelas sempre a brilhar
Lembrei-me de você meu amor.
A me amar.
E cantando pela vida eu vou sempre falar
Como os pássaros cantando
E pra que chorar.
E nem sempre o mar
Está sempre a agitar
Fica calmo brando como luar.
Num azul tão bonito
Em compasso
Sempre a bailar.
SNITRAM
Editora de Texto
Rosali Gazolla

CLAREVIDENCIA(1985)

Off
fevereiro 1st, 2011


CLAREVIDÊNCIA

Amigos
Estou chegando agora
Para dizer que o samba mora
No meu barraco lá no morro.
No céu
A estrela guia fica
Pra clarear o samba
Que nasce em novos dias.
Salve a Bahia
Amigos cheguei
E vou embora
Sabendo que o samba agora
Nasceu e vive para ficar
No céu uma estrela guia
Fica para clarear o samba
O amor e a poesia.
Salve a Bahia
Snitram
Editora de texto Rosali Gazolla

  • Facebook
Pular para a barra de ferramentas